Uma organização que sofreu várias transformações, principalmente em tempos de crise, exclusivamente a COVID-19, que veio igual ao tsunami, mas antes vou falar EVAH, empresa de base tecnológico, incubada no Parque Tecnológico de Itaipu desde 2017.

No período de incubação passamos por várias transformações e também a mudança do modelo de negócio, posicionamento e produto. Entretanto nenhuma transformação foi tão impactante neste momento como a desta pandemia.

Apesar da EVAH ser uma empresa de base tecnológica, nova e todos muito jovens, nosso modelo de trabalho era tradicional, com horários fixos, escritório, reuniões presenciais com os clientes de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este e de outras cidades e outros estados.

Aprendemos rápido, nos adaptamos em uma velocidade que nem conseguimos medir, conhecemos várias ferramentas, estudamos muitas delas, mas usar elas de fato era para um projeto e outro. Digo para os nossos clientes, conhecer as ferramentas é uma coisa, usar de fato é outra totalmente diferente, e usar elas de forma aprofundada não era a nossa realidade.

Pandemia chega ao Brasil, iniciamos o trabalho home office, a adaptação foi rápida, uma mudança de paradigma, pois muitos de nós, inclusive eu, ficara no escritório até tarde e alguns sábados para evitar levar o trabalho para casa. Primeiro dia, definimos duas reuniões diárias super rápidas, uma as 8:30 e a outra as 14hrs. para troca de informações e apontamentos importantes, na segunda como praxe, definimos como será a nossa semana e vamos mantendo a linha de raciocínio. Para nossa comunicação usamos o App Discord , entramos em uma sala, resolvemos as nossas pendências e lá também é possível o compartilhamento de tela e conversas individuais.

Em relação aos nossos clientes, e o projeto das 25 empresas que foram atendidas devido ao COVID o atendimento foi 100% remoto, usamos o App Google Meet, que está gratuito por um bom tempo, isso é muito bom. Conseguimos compartilhar telas e ter uma comunicação reta e olho no olho, pois nós como seres humanos, necessitamos desta troca de energia, o aperto de mãos e olhar sério, firme e claro, saber que no outro lado existe outro ser humano.

Outro ponto importante é que as reuniões presenciais da EVAH eram quinzenais e longas, agora temos as reuniões diárias e bem práticas se tornou algo nosso, a reunião da manhã serve como um despertar. E a da tarde para esclarecimento, e como acontece todos os dias, sabemos o que acontece diariamente, algo que antes era impossível saber. Agora conseguimos contribuir um com o outro de forma mais rápida e prática.

A pandemia exigiu de nós, como muitos outros a adaptação, remodelagem, a mudança de paradigma sobre a vida e trabalho. Tivemos que dar o suporte necessário um para com os outros como ser humano para essa adaptação. E nos negócios não foi diferente o que levaria 10 anos, teve que ser executado nesses dois meses.

Precisamos constantemente evoluir como pessoa para contribuir com a sociedade, e como disse antes saber algo e não aplicar é uma dicotomia.

Temos a oportunidade de enxergar oportunidades escondidas, a desencadear ações mais relevantes, gestão do tempo e produtividade que antes não enxergávamos, hoje, a EVAH, consegue trabalhar de qualquer lugar do mundo, com apenas um notebook e internet, sim sem internet não dá. rsrsrs. E claro, também podemos trabalhar com qualquer pessoa do
mundo.

*Anisio Ramos, co-fundador da Evah, formado em administração, atualmente sou responsável financeiro da empresa.
Iniciei na área de vendas, especialista em Google Meu Negócio e Certificado em Google Ads

 

 

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva de seus autores, não representando a opinião do veículo.
Fotografia Anisio Ramos: Hidalgo Gomes, edição por Frank.
Fotografia: Foto ilustrativa – Reprodução/Freepik.

Comentários

1 Comentário

Deixe a sua opinião