“Estamos entrando na fase crítica da pandemia em Foz do Iguaçu, com aumento expressivo do número de casos e sobrecarga do sistema de saúde. Isso é preocupante. Por mais que tenhamos ampliado a retaguarda de atendimento e tenhamos índice de oferta de leitos de UTI semelhante a países como a Alemanha, a adesão da população às medidas de prevenção é fundamental“.

Segundo o Diretor Técnico do Hospital Municipal Padre Germano Lauck e membro do comitê de enfrentamento à epidemia do Coronavírus, Fabio Marques, a transmissão local e a transmissão comunitária respondem por 80% dos casos detectados no município. Hoje, apenas 20% dos casos em Foz do Iguaçu são considerados importados. Ou seja, são trazidos por pessoas que vieram de outros municípios. Por isso é preciso cuidar de si e das pessoas ao redor – principalmente daquelas que estão em grupo de risco.

“Precisamos cuidar uns dos outros. Em nossas reuniões fizemos um acordo grupal: quando alguém encosta a mão no rosto a reunião é paralisada para chamar atenção da pessoa. Muitas vezes coçamos o rosto sem nem mesmo perceber. Você pode até ter higienizado as mãos, mas se não higienizou o celular e encostou nele antes de levar as mãos ao rosto, pode se contaminar.”

Para ele, nosso maior problema está dentro da cidade. Pelas estatísticas da Vigilância Epidemiológica, cerca de 30% das pessoas positivas se contaminaram com familiares dentro de casa.

 Da esquerda para a direita, o diretor técnico do Hospital Municipal, Dr. Fabio Marques

No lar

Fabio enfatiza que os descuidos em relação às medidas de proteção tendem a ser maiores quando a pessoa está no conforto do lar. São cuidados simples, mas que tendem a ser negligenciados.

“O vírus não penetra na pele. Em conversa com profissionais de saúde que se contaminaram, boa parte acredita que a infecção ocorreu num pequeno descuido: como o ato de coçar o nariz ou os olhos sem higienizar as mãos antes.”

Para reduzir as chances de pegar o coronavírus use a regra do 4:

  • Use máscara,
  • Mantenha distância de 1 metro e meio das pessoas,
  • Lave as mãos frequentemente e não coce o nariz, a boca ou os olhos.
  • Se existe alguém com caso confirmado em casa, essa pessoa deve ser mantida isolada no quarto por 14 dias. Nesse caso, o banheiro e objetos de uso pessoal devem ser sempre separados.

Atenção!

Em casas com apenas um quarto, os demais moradores devem dormir em cômodo separado, como a sala, longe do paciente infectado.

Regra para os moradores

Se uma pessoa da casa tiver diagnóstico positivo, assim como ela, todos os outros moradores devem ficar em isolamento por 14 dias também. Caso outro familiar da casa inicie os sintomas leves, ele deve reiniciar o isolamento de 14 dias. Se os sintomas forem graves, como dificuldade para respirar, deve procurar orientação médica.

Plantão Coronavírus

As ligações gratuitas podem ser feitas pelo 0800 645 5655.

Os números 3521-1800, 99997-5111, 99997 5150, 99997 5251 e 99992 0550 recebem ligações, inclusive de Whatsapp.

A central funciona 24 horas com atendentes capacitados para oferecer todas as informações a respeito da doença, orientar os moradores sobre como e onde buscar atendimento, agendar exames e prescrever o isolamento domiciliar, quando necessário.  

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião