Por meio de uma entrevista online com os jornalistas da 100fronteiras, Annie Grellmann, Denys Grellmann e Patrícia Buche, o empresário José Eduardo nos contou sobre o programa Invest Paraná, criado para atrair investimentos ao estado.

O empresário possui formação em Administração de Empresas com Habilitação em Comércio Exterior pela Universidade Paulista (UNIP). Tem MBA em Empreendedorismo pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e especialização em Marketing Político pela Universidade Hebraica de Jerusalém. Atualmente, atua como Diretor-Presidente da Invest Paraná, a agência que, segundo o fDi Intelligence do grupo Financial Times, tem a melhor estratégia para atração de investimentos da América do Sul. Com experiência na área comercial de empresas internacionais de Tecnologia e Inovação Israelenses, no mercado brasileiro, foi Diretor Executivo do Shopping Total.

José Eduardo Bekin é o atual Diretor-Presidente da Invest Paraná. (Foto: Assessoria)

Por 35 anos administrou diversas empresas nos setores de construção, comércio, shopping centers e tecnologia. Foi em eventos da área tecnológica que ele conheceu o atual governador do Paraná, Ratinho Jr. “Em 2018 fui convidado pelo Ratinho Jr. para participar do plano de governo dele e contribuir com a equipe na questão de empresas e turismo, isso porque acredito muito no turismo do Paraná”. Depois que Ratinho Jr. foi eleito Bekin foi convidado para assumir o cargo de Diretor-Presidente, da Diretoria Executiva da Agência Paraná de Desenvolvimento, que depois passou a se chamar Invest Paraná, a partir de janeiro de 2019.

O que é a Invest Paraná?

Nascida para atender o estado, a Invest Paraná tem a missão de promover o desenvolvimento econômico e social, por meio da atração de investimentos e de novas empresas à região, com apoio aos municípios e aos empresários. Tudo isso gerando renda e empregos, além de modernização tecnológica.

Bekin destaca que a Invest Paraná tem a conotação de trabalhar os incentivos fiscais, e na sequência a manutenção dos benefícios, fazendo uma ligação entre as empresas do setor privado e o governo. Em outras palavras, é a porta de entrada oficial para as empresas interessadas em pleitear os benefícios do Programa Paraná Competitivo – o programa oficial do governo do Estado nesta área.

Colheita de trigo. O agronegócio faz parte da Invest Paraná (Foto: Jaelson Lucas/AEN-PR)

“O governo deu muita liberdade para nós trabalharmos não só na questão dos incentivos como também de investimentos. Em um ano e meio, a equipe do Invest, formada por 12 pessoas, é muito boa e tem independência para atuar.  Somos um time que juntos falamos mais de oito idiomas diferentes, não deixamos ninguém aqui sem resposta, seja para dizer sim ou não, e nós temos como meta dar o retorno para o empresário em máximo sete dias, e isso é gestão”, explica o presidente.

Isso porque o trabalho da Invest Paraná é atrair investidores de diferentes setores e países e do exterior e para isso, o relacionamento com os empresários é a base fundamental da boa gestão da Invest.

Programas desenvolvidos dentro da Invest Paraná

Bekin destaca também que um dos desejos do governador quando lhe nomeou era trabalhar a interiorização, ou seja, levar investimentos para as cidades do interior do estado. No entanto, Bekin explica que isso não é possível sem que haja um plano de infraestrutura. “Se eu vou fazer um investimento o que mais quero é estar na cidade para ver onde estou colocando o meu dinheiro”. E por conta disso foi criado o programa Voe Paraná que é o maior programa aéreo regional da história do estado, onde o governo ofereceu incentivos, como a redução do ICMS para as companhias aéreas com novas rotas, e fez uma grande aproximação com o setor para promover o projeto.

Com isso, hoje o estado conta com a maior malha aeroviária do Brasil. “Esse projeto que iniciou na Invest tem o objetivo de ligar as pequenas cidades à Curitiba com aviões de pequenos portes, para que os investidores possam conhecer as cidades do interior e assim investir, além de ampliar a infraestrutura da aviação regional”, destaca Bekin.

Avião da Voe Paraná, programa que faz parte da Invest Paraná. (Foto: Gilson Abreu/AEN-PR)

Esse programa proporcionou uma grande melhoria na infraestrutura do estado, o que contribui para mais investimentos. Somado a isso, a capacitação da mão de obra é também item fundamental para que a Invest tenha progresso. Bekin explica que para garantir a segurança do investidor e melhorar o ambiente de negócios em cada cidade do Paraná a Invest também criou o Programa Municipal de Atração de Investimentos (PMAI), que trabalha em conjunto com as prefeituras, tirando o lado social e trabalhando o lado econômico da região.

“Quando eu entrei havia sete PMAI no estado e fizemos mais 23, mas percebi que era preciso focar na sustentabilidade também, então criei o PMAIS (Programa Municipal de Atração de Investimento Sustentável) e firmei um compromisso com a secretaria de desenvolvimento sustentável e turismo e o governo do estado, onde até o final dessa gestão nós vamos entregar aos 399 municípios do Paraná o PMAIS que é um alicerce do que vai ser nosso estado nos próximos 10, 15, 20 anos em investimentos e desenvolvimento, pois queremos mostrar para as cidades e regiões que dá para ter empreendimentos sustentáveis. Hoje não existe mais falar em desenvolvimento econômico, sem falar de desenvolvimento sustentável, e isso se consegue com capacitação”, destaca.

Além desses programas, o Invest Paraná também é responsável por elaborar um relatório técnico que irá embasar a decisão final da Secretaria da Fazenda, por isso a Invest advoga em causa da empresa, procurando entender e conhecer todos os detalhes do projeto de investimento.

Os benefícios da Invest Paraná

Em 2019 quando Bekin assumiu a presidência, a meta era trazer algo em torno de R$ 7 bilhões em investimentos para o Paraná, mas eles conseguiram ir além e trouxeram R$ 23 bilhões de novos investimentos, além de fazer as empresas que já investiam no estado aumentar seus investimentos, resultando assim em  mais de R$ 10 bilhões. Esses investimentos são para as áreas de indústria, agronegócio, tecnologia, automobilístico, entre outros.

“No Brasil ninguém chegou perto do investimento internacional que o Paraná chegou.  E os motivos para quererem investir no estado são muitos, principalmente no que diz respeito a gestão do estado, eficiência e compliance (Lei anticorrupção). Eu quero sair daqui da mesma forma que eu entrei, sem nenhum processo e o governador também tem uma imagem extremamente com compliance e esses são pontos importantes, que é onde a gente ganha”.

Portos no Paraná também fazem parte dos investimentos da Invest Paraná. (Foto: AEN-PR)

Para o ano de 2020, a meta era chegar próximo aos investimentos de 2019, no entanto a pandemia freou esse avanço, pois o mundo parou de investir e de consumir. No entanto, Bekin destaca que a crise mostrou uma oportunidade de valorizarem as empresas locais do estado fazendo assim o dinheiro circular dentro do Paraná. “Um exemplo disso foi a compra de máscaras de proteção. Enquanto outros locais compraram de outros países, nós utilizamos as costureiras de cidades do Paraná para confeccionar esse material. Então o investimento ficou dentro do estado”.

Bekin em um dos eventos da Invest Paraná. (Foto: José Fernando Ogura/AEN-PR)

Mas mesmo com o cenário atípico, ele destaca que o projeto ainda é chegar há R$ 8 bilhões em investimentos neste ano, pois mesmo com a crise, os empresários continuam procurando a Invest Paraná. 

Turismo no Paraná

Bekin logo no inicio da entrevista destacou a paixão e confiança que tem pelo turismo. E claro que não poderia deixar de comentar sobre Foz do Iguaçu, local que ele guarda boas lembranças da infância. “A primeira viagem que fiz quando criança, aos 6 anos, foi para Foz com a minha família. Boa parte da estrada era de chão e no meio do caminho encontramos o time do Santos que tinha ido jogar em Foz do Iguaçu e aí encontramos o Pelé e eu tenho uma foto no colo dele. Guardo essa foto comigo até hoje e lembro que nos hospedamos no Hotel Carimã”.

Cataratas do Iguaçu. O turismo também tem força na Invest Paraná. (Foto: Lilian Grellmann/100fronteiras)

Ele destaca que é apaixonado pelo Parque Nacional, Macuco Safari e Parque das Aves, lamenta não poder ter aproveitado melhor as últimas visitas que fez à cidade, pois todas foram a trabalho. “A última vez que estive em Foz foi em fevereiro para lançar a sede do Consud (Consórcio de Integração Sul e Sudeste) que tem o objetivo de integrar dez áreas de trabalho dos sete estados: segurança, saúde, educação, turismo, sistema prisional, logística e transporte, combate ao contrabando nas suas diferentes áreas, desburocratização, desenvolvimento econômico e tecnologia e governos digitais. Foz do Iguaçu é a princesinha do Paraná e é de grande importância para o governo de Ratinho Jr., porque nunca vi um governador ir tanto para Foz a trabalho como ele, em dia de semana principalmente, para ver as obras que estão em andamento e que tem apoio do governo do estado. Foz do Iguaçu pra mim é algo que vai dobrar de tamanho, vai explodir muito mais”, finaliza Bekin.

Foto em destaque: Daniel Castellano (SMCS)

Denys Grellmann

Coordena nacionalmente a Comissão de Editores Locais da ANER, é membro do conselho fiscal da entidade (2019-2020), iguaçuense, jornalista, publisher da 100fronteiras com Master em Gestão Estratégica e de Marcas pelo ISE Business School, São Paulo e Universidad de Navarra, Espanha.

Patrícia Buche

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião