Coletivo Educador de Foz ganha visibilidade em evento internacional na USP

257

Trabalho exposto utilizou a cartilha e o curta-metragem “Carta da Terra para Crianças”

Duas décadas depois, o histórico Congresso Internacional de Comunicação e Educação foi retomado nos últimos dias 12, 13 e 14 de novembro, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP). Nesta segunda edição do evento, que reuniu cerca de 1150 pessoas de vários países, dois materiais produzidos pelo Coletivo Educador Municipal de Foz do Iguaçu (CEMFI) foram destaques no Grupo de Temático (GT) Meio Ambiente – Educomunicação, no Brasil e na Europa – coordenado pelo jornalista Paulo Lima, diretor executivo da Viração.

Intitulado A Educomunicação como Suporte para a Educação Ambiental no Município de Foz do Iguaçu, o trabalho exposto pelo também jornalista Derliz Moreno, membro do CEMFI e do Coletivo Jovem da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná 3 (CJBP3), apresenta uma síntese da oficina Semeando o Amanhã. Posta em prática no segundo semestre de 2017, na turma matutina de 4º ano “A” da Escola Municipal Papa João Paulo I, como explica Moreno, “a iniciativa experimentou uma metodologia educomunicativa para abordar a temática socioambiental em sala de aula. No final do processo, marcado por diálogos e reflexões, as produções dos 28 educandos da classe foram reunidos no zine Mundo Melhor”, disponível no link https://view.publitas.com/semeando-o-amanha/mundo-melhor/.

Foram utilizados dois materiais do Coletivo Educador como ponto de partida para esta caminhada. São eles: a cartilha Carta da Terra para Crianças (2012) e o curta-metragem Carta da Terra para Crianças: Um Novo Olhar – O Filme (2016), que pode ser assistido no link https://youtu.be/75JrdzuGId4. Este último, gravado em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e legendado em Língua Portuguesa, foi realizado em parceria com a Escola Bilíngue para Surdos Lucas Silveira, mantida pela Associação de Pais e Amigos dos Surdos de Foz do Iguaçu (APASFI).

Ambas as ferramentas educativas foram distribuídas às escolas da rede pública municipal de ensino dos 29 municípios da BP3, bem como integraram eventos nacionais e internacionais. Como apoiadores, a produção dos materiais teve a Itaipu Binacional, o Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu e o Coletivo Educador da BP3.

O projeto socioambiental Semeando o Amanhã, concebido por Derliz Moreno, se refere à segunda etapa do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em Jornalismo Zine “Mundo Melhor”: A Educomunicação Socioambiental na Escola, tendo o Texto Livre como Catalisador de Cidadania. Sendo co-escrito pela orientadora do trabalho, a Prof.ª Dr.ª Sônia Inês Vendrame, atual pesquisadora visitante da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o paper apresentado no Congresso também contou com contribuições das professoras Me. Anne Carolina Festucci, do Centro Universitário Dinâmica das Cataratas (UDC), e Me. Rosani Borba, do Centro de Educação Ambiental do Iguaçu (CEAI) – onde brotou a ideia de produzir os dois materiais.

Para o município de Foz e para o Coletivo Educador, conforme expressa Borba, “é de grande relevância poder contribuir com profissionais de outras áreas como a Comunicação, utilizando materiais produzidos aqui, em especial, quando se trata da Carta da Terra para Crianças em LIBRAS, um sonho realizado no sentido de promover acessibilidade”.

Esta iniciativa também teve a história contada nos artigos Oficina Educomunicativa Socioambiental “Semeando o Amanhã”: Da Exibição do Curta-Metragem ao Zine, publicado nos anais do XLI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (INTERCOM), e A Imagem como Ponte entre a Língua de Sinais e a Língua Escrita na Obra “Carta da Terra para Crianças: Um Novo Olhar – O Filme”, socializado no X Encontro de Pesquisa em Comunicação (ENPECOM). Em meio ao processo, também registrou-se os resultados preliminares no trabalho “Semeando o Amanhã”: Experiência Educomunicativa Socioambiental na Escola Papa João Paulo I em Foz do Iguaçu – que integra os anais do IX ENPECOM.

Realizado conjuntamente com o VIII Encontro Brasileiro de Educomunicação, o II Congresso Internacional de Comunicação e Educação foi promovido pelo Núcleo de Comunicação e Educação (NCE) da USP e pela Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom).

 

Reportagem: Assessoria de Comunicação/CEMFI

Fotografia: Maria Célia Giudicissi Rehder/ABPEducom




Deixe um comentário