Empreender não é tarefa fácil. Luis Chang que o diga. Natural de Taiwan, na China, conheceu a Tríplice Fronteira no início da adolescência, em 1989, quando veio com a família para Ciudad del Este (PY). E o trabalho começou cedo.

Ainda aos 12 anos de idade já ajudava o pai no comércio da família. Como ele mesmo contou, estudava de manhã e trabalhava a tarde. E carregava no sangue a paixão pelo comércio, tanto que aproveitava a escola para vender lápis para seus colegas de sala.

Tempos depois foi para Curitiba (BR) estudar e seu pai adoeceu, tendo que voltar para Taiwan. Com isso, ele precisou assumir os negócios da família e voltou para o Paraguai, lugar que sempre gostou de morar. Mas Luis queria escrever a própria história e então passou a trabalhar em uma loja como vigilante e gerente.

“Naquela época esse trabalho consistia em ficar sentado em uma cadeira bem alta vigiando a loja e atendendo os clientes que chegavam. A loja não era grande, mas eu precisava saber todos os preços dos produtos da loja, em código”, relembra Luis.

Elegância Company
Há também o setor da Elegância Atacado.

Depois disso, ele mudou para outra empresa, que era a número 1 no mercado de eletrônicos, em 1995, com 18 anos. “Comecei a atuar no setor de pacote, mas também descarregava contêiner, porque temos que dar o exemplo né? Não é porque você tem um cargo maior que você não precisa fazer coisas básicas. Então comecei na base e fui crescendo, fui promovido a caixa e crescendo profissionalmente”.

E foi nesse emprego que ele viu a oportunidade de trabalhar com outro ramo, o de perfumaria. Ele ia até uma loja vizinha que vendia os perfumes e comprava dois, três e revendia para seus colegas. Com isso, sugeriu ao chefe que eles incluíssem um setor pequeno de perfumes na loja, na qual Luis ficaria responsável. E assim ele começou o que na sequência deu vida ao seu próprio negócio, pois Luis viu a oportunidade de abrir uma perfumaria, a Charme Perfumaria. A loja existe até hoje e foi fundada junto com seu chefe, da empresa de eletrônicos. Ele trabalhou ali até 2007 quando saiu para fundar a Elegância Perfumaria. “Chega um momento que você precisa trocar de palco, sair da zona de conforto. Eu gosto de desafios e inovação e através disso decidi abrir meu próprio negócio”.

Construindo a Elegância

Luis precisou dedicar sua vida para construir seu império. A Elegância nasceu de uma visão de futuro do empresário que soube agarrar as oportunidades que foram surgindo em seu caminho. “A Elegância Company passou por várias evoluções, sempre dentro da linha de perfumaria, vendendo perfumes há 15 anos e se reinventando nesse setor”.

Ele conta que a empresa passou por três fases e ao todo, ao longo desses anos, teve sete lojas da Elegância, em Ciudad del Este.

“A primeira loja foi no Shopping Jebai, em um escritório escondido no último andar do prédio. Trabalhando ali, um amigo me ofereceu a oportunidade de abrir a loja em outro endereço com mais visibilidade. Eu fui, e a loja ficava ao lado da Charme Perfumaria, do meu antigo chefe. Como sempre fomos amigos, negociei com ele uma sociedade para trabalharmos juntos na Elegância Perfumaria”.  

Então Luis saiu da loja que estava e foi dessa vez para o segundo piso do Jebai, considerado o melhor corredor de vendas do shopping. Ali de fato iniciou a loja. O espaço era pequeno, mas a vontade de trabalhar era enorme e assim Luis foi fazendo. Com isso foi abrindo outras lojas chegando a marca de sete.

Elegância Company
A Elegância conta com linhas de perfumaria, cosméticos e maquiagens.

O empresário explica que a Elegância passou por três etapas durante esses 15 anos. Nos primeiros cinco anos Luis abriu o negócio e fez a marca se tornar conhecida. Os cinco anos seguintes trabalhou com represente de marcas importadas e nos últimos cinco vem trabalhando para estruturar sua equipe e alavancar os negócios.

“O mercado de perfumaria vive em um constante crescimento, principalmente dos produtos dentro das marcas existentes. Eu fui pioneiro em trazer para CDE a famosa marca Victoria’s Secret, soube que na época eu era conhecido como o príncipe da Victoria’s Secret. Também trouxe a marca de maquiagem MAC, hoje você encontra em qualquer lugar, mas há dez anos, era muito difícil e eu trouxe para a região. E com isso a Elegância sempre foi vista como pioneira nas linhas de marcas exclusivas a chegarem na fronteira”.

Dessa forma, a empresa foi fazendo seu nome e Luis foi aperfeiçoando seu trabalho, não apenas para ser um empresário de sucesso, mas principalmente para capacitar seus colaboradores para que eles alcancem esse sucesso também. “Eu gosto de ensinar, até porque tudo o que sei aprendi com outras pessoas, sempre precisei da minha equipe, então gosto de ensinar, de delegar funções para as pessoas crescerem também dentro da empresa”.

Por isso, a atual fase da empresa, nesses últimos cinco anos, é a de capacitar seus colaboradores. Foi nessa fase também que Luis entendeu que não havia a necessidade de manter sete lojas. Estudou o mercado, a logística das lojas, funcionários e produtos e viu que dava para reduzir a quantidade de lojas e focar apenas em uma. “O que eu fiz pode ser visto como uma loucura, mas eu estudei bem antes de tomar essa decisão. Eu apostei em uma região que muitos diziam que não teria público, pois era um pouco retirada do microcentro. Aqui abri a sétima loja da Elegância e meu objetivo foi atrair o público para cá. Para isso, eu que já havia criado a semana de promoções, Beauty Friday, resolvi trazer ela para a nova loja e fechei as outras seis lojas durante uma semana. Com isso, todo o público veio para cá e passou a frequentar, o que me fez tomar a decisão de fechar as outras seis lojas e concentrar o trabalho nessa. Hoje a Elegância Company está localizada na Av. Adrián Jara e atualmente estamos passando por uma reforma para ampliar nossos espaços e oferecer ainda mais conforto e variedade aos clientes”, conta.

Elegância Company
A loja está passando por uma ampliação.

Elegância em Ação

Durante todos esses anos Luis sentiu a importância de contribuir com a sociedade, por meio de ações beneficentes. Com isso, uma ação beneficente realizada quatro vezes por ano, tem como objetivo ajudar as pessoas em Foz e no Paraguai. Para isso ele incentiva os colaboradores a participar da ação, indo em escolas fazer caridade, levando materiais e merenda escolar e ajudando na reforma das escolas. “É muito importante ajudar, poder ter o que dar aos outros, manter o coração quente”.  Durante a pandemia essa ação precisou se paralisada, mas Luis pensa em retomar.

Atualmente, além da reforma, Luis está repassando seu conhecimento para os gerentes da nova geração, porque ele quer delegar as funções para se dedicar a novos negócios. E ele preza muito pelos seus colaboradores. Cristão, ele elencou objetivos a cumprir nesses últimos anos, começando pela gratidão, onde deve ser grato pelas conquistas. Depois revelação, que significa revelar as pessoas que estão próximas a ele, incentivando-as a crescer com ele dentro da empresa e o próximo passo é a construção, construir algo para eles mesmos e para a empresa.

“De funcionário, fui para sócio e hoje tenho meu próprio negócio. E é essa chance que eu quero que meus colaboradores tenham também, mas claro que sempre fazendo por merecer. A Elegância Company é sinônimo de inovar, dedicar e superar. É um ciclo que nunca tem fim e o mercado sempre muda, então temos que estar inovando também. Hoje fazendo esse balanço dos 15 anos de empresa só tenho a agradecer. E não tem como calcular isso em valor, mas em aprendizagem, porque muito do que ensino hoje para minha equipe e meus filhos é meu verdadeiro ganho, a sabedoria, capacitação, experiência de mercado e a minha fé que me ajuda bastante, pois quando você começa a crescer você fica muito arrogante e soberbo, e então eu trabalho para manter a humildade”.

luis chang

Luis Chang - CEO da Elegância Company
Luis Chang é CEO da Elegância Company.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião