Na quinta-feira (16), a jornalista recebeu uma ligação de um rapaz que dizia ser da assessoria de comunicação de uma personalidade famosa – Renata estava fazendo um treinamento online com tal pessoa. O criminoso disse que, dentre todos os alunos, ela tinha sido selecionada junto com mais 54 pessoas para participar de uma aula exclusiva que, supostamente, aconteceria em setembro.

O homem, do outro lado da linha, disse a ela que a equipe havia enviado um e-mail e que a jornalista precisava validar para a entrega do convite.  “Para esse evento eu poderia levar uma pessoa convidada da minha escolha, eu disse que não que não tinha recebido nada por e-mail, daí ele disse que tinha dado algum problema, que iria enviar novamente, depois me disse que ia encaminhar via WhatsApp, pediu para eu confirmar o número, eu confirmei, então ele disse que ia me enviar um código do WhatsApp para eu dizer o número desse código que era para ativar o convite”, conta.

Na primeira tentativa, o criminoso não teve sucesso. Logo ele encaminhou outro código, Renata, sem desconfiar, passou. Logo após isso, o criminoso ficou enrolando por um tempo, perguntou novamente se tinha recebido o e-mail, nesse meio tempo o Whatsapp da jornalista caiu.

“Nisso que ele caiu eu achei estranho, não sabia se tinha clicado em uma coisa errada, a gente não consegue entender na hora. Falei enquanto estava no celular com ele que cliquei em alguma coisa, e ele continuou falando comigo ao telefone, falando que era assim mesmo que isso tinha acontecido com ele na semana passada e que já voltava. Daí ele falou, que eu iria receber o e-mail e encerramos o telefonema”.

Após desligar o telefone, Renata teria uma reunião em que teria que utilizar o aplicativo de mensagens. Ficou tentando, porém, sem sucesso. “Fui perguntar para um amigo se ele estava conseguindo utilizar o Whats, porque na semana retrasada deu um problema no Whatsapp por alguns minutos, e daí eu pensei nisso”, conta.

Foi aí que a ficha caiu, que ela acabava de ser a mais nova vítima do golpe do Whatsapp. Na hora, ela postou nas redes sociais sobre o ocorrido, ligou para os parentes, amigos e pessoas do trabalho. E foi atrás para saber como recuperar o aplicativo.

“Nesse mesmo ataque, eles começaram a tirar de alguns grupos, meus amigos que eram administradores, deixaram só eu como administradora, acho que eles queriam ter acesso a outros números de telefone, impedir que as pessoas avisassem que meu Whatsapp tinha sido clonado. Então eles agem em grupo”.

Na sequência, Renata enviou e-mail para o suporte do Whatsapp de “Perda e Roubo”, ela conta que com isso eles bloqueiam o aplicativo da pessoa. Porém o processo de bloquear demorou cerca de 40 minutos.

Vítima do golpe

Nesse meio tempo, uma amiga de trabalho da jornalista não viu as postagens das redes sociais, nem as conversas do grupo de aplicativo. Ela estava supostamente “conversando” com Renata e fez um depósito para o criminoso. Mais de 10 pessoas que receberam mensagens ligaram para Renata desconfiadas com pedido do depósito.

“A gente agiu muito rápido. Enquanto eu estava fazendo o boletim de ocorrência minha mãe estava ligando na ouvidoria do banco Itaú, o banco Itaú era um dos bancos que eles estavam pedindo a transferência, minha mãe abriu esse chamado direto na ouvidoria. A minha amiga depositou R$ 1.200 depois ficou sabendo que havia caído no golpe. Ela fez a transferência, porém os bancos eram diferentes, isso dificultou a rapidez deles terem acesso ao dinheiro, mas de qualquer forma a transferência foi concretada, no dia seguinte o dinheiro saiu da conta dela”.

Renata thomazi

Alerta

Além do aplicativo de Whatsapp, os criminosos tiveram acesso também, de alguma forma, a conta do Nubank de Renata, pois supostamente ela fez uma compra de R$ 9,90 na Amazon Prime. Ela contatou o banco digital, que estornou a compra.

“Imediatamente cancelei o código do cartão virtual, e mudei também o valor de limite do meu cartão de crédito, porque mesmo assim se eles continuassem utilizando de alguma forma, eles não teriam um valor muito alto para compra”.

Golpe Sofisticado

Renata conta que sua sensação ao cair no golpe foi de: “como fui burra, como eu pude me deixar enganar, como eu, que sou tão ligada, que trabalho no meio digital, fui vacilar desse jeito”.

Passado um tempo, ela começou a analisar a estratégia dos criminosos e viu que seria difícil não ter caído no golpe. Segundo ela, eles leram os e-mails dela, tinham os dados muito certo ao fazer a abordagem, até mesmo a forma dela digitar foi copiada.

Renata, conta que a dica é ativar a autenticação em duas etapas para dificultar o acesso dos bandidos.

Como fazer a ativação?

Para ativar a confirmação em duas etapas, no WhatsApp abra: Configurações (Android) / Ajustes (iOS) > Conta > Confirmação em duas etapas > ATIVAR.

Ao ativar esse recurso, você poderá inserir seu endereço de e-mail. Caso você esqueça seu PIN de seis dígitos, o WhatsApp enviará um link a esse e-mail para desativar a confirmação em duas etapas.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião