Quem nunca sonhou em, finalmente, pegar as chaves da casa própria? Esse é um dos sonhos de vida mais comuns na sociedade. Além de aumentar seu patrimônio e investir o dinheiro de forma segura, procurar por imóveis à venda liberta as pessoas do pagamento do aluguel. Entretanto, essa é uma aquisição que exige grandes quantias em dinheiro, sendo o financiamento a única possibilidade que alguns têm para atingir esse objetivo.

Por conta de comprometer parte da renda familiar por um longo período de tempo, as opções de financiamento devem ser analisadas com cautela, já que as instituições aplicam diferentes taxas e condições de pagamento.

Não deve ser analisado somente o valor da parcela, mas sim se os juros e o valor final do imóvel são justos e condizentes com a situação econômica do país.

Para ajudar você nessa importante decisão pela melhor taxa de financiamento, preparamos esse artigo com as principais informações a respeito das práticas das instituições bancárias. Ficou interessado? Confira o post!

Quer comprar? A hora é agora!

O ano de 2018 tem tudo para ser um ano promissor para o investimento imobiliário ou para a compra da casa própria. A crise econômica experimentada pelo país nos últimos anos freou os investimentos e deixou muitos imóveis disponíveis, que tiveram seu valor reduzido e deixou muitos proprietários ansiosos para negociá-los.

Atualmente é possível encontrar casas e apartamentos à venda em Curitiba por 60% do valor inicial, ou seja, o poder de compra aumentou e a negociação está toda na mão do comprador.

O ideal é que você tenha uma quantia em dinheiro para oferecer como entrada e, assim, diminuir o valor que será financiado. Isso vai unir o ano promissor a menores parcelas de financiamento.

Se você ainda não está convencido, lembre-se que a taxa Selic, um índice utilizado como “termômetro” do mercado imobiliário, diminuiu para 7% neste ano de 2018. Essa redução vai estimular o setor e facilitar o financiamento.

As taxas de financiamento influenciam no valor da propriedade?

Sim, e muito! As taxas de financiamento de imóveis são, em resumo, um preço que você vai pagar para usar o dinheiro da instituição bancária e utilizá-lo na compra da casa própria. Ou seja, quanto maior a taxa, mais você vai pagar no valor final do imóvel.

É importante que a pessoa interessada em financiar um imóvel pesquise as opções que estão disponíveis no mercado antes de fechar negócio com a primeira instituição que aprovar seu cadastro.

Outro detalhe que deve ser visto com atenção é o tempo de financiamento, já que quanto maior for o período de pagamento do imóvel, mais caro ele fica. O ideal, portanto, é ter um valor para oferecer como entrada.

É possível pagar menos no imóvel?

Existem diversas formas de você negociar o valor do imóvel que pretende comprar. A principal dica é procurar avaliar o momento atual do mercado imobiliário.

A boa notícia é que, como o setor está com muitas ofertas, é possível exercer a barganha e conversar com o proprietário a respeito dos valores exigidos.

Como foi dito, ter um bom valor de entrada, pelo menos 30% do total, já auxilia muito na negociação, já que muitas pessoas donas de imóveis precisam do dinheiro no ato da venda. Além disso, quanto maior esse valor, menos será financiado e os juros serão menores.

Para aqueles que buscam investir e não têm pressa para pegar as chaves do imóvel, uma dica é procurar por uma propriedade que ainda esteja na fase da planta. Esses imóveis costumam ser mais baratos e ainda possibilitam alguma personalização, como remanejamento de cômodos e acabamentos especiais.

Entretanto, ainda que você não tenha pressa, é aconselhável se informar a respeito do prazo para a entrega do imóvel e evitar surpresas desagradáveis, que frustram e afetam o planejamento.

Quais as taxas do mercado de financiamento de imóveis?

As instituições bancárias atualizaram suas regras de financiamento no último ano, com a diminuição das taxas de juros. Embora muitos achem que a única opção é por meio da Caixa Econômica Federal, isso não é verdade, já que a concorrência anda bastante disputada. Isso é ótimo para o proprietário, que consegue avaliar a melhor opção dentro das suas condições financeiras.

Porém, além de você avaliar a taxa de financiamento, é importante fazer as contas a respeito do Custo Efetivo Total (CET), que soma todos os valores que serão pagos por você ao final do parcelamento.

Os bancos também embutem outras taxas obrigatórias, por isso, é importante ficar ligado a todos os detalhes e conversar com o gerente responsável pelo setor de habitação.

Para se munir de informação, confira como as principais instituições estão lidando com o financiamento imobiliário.

Caixa Econômica Federal

Essa é a instituição bancária mais procurada por quem busca financiamento imobiliário, já que foi, por muitos anos, a que cobrou as menores taxas. Esse índice, no entanto, está em 10,48% ao ano.

Para ter o cadastro aprovado, é necessário que o proponente comprove renda, já que as parcelas não podem consumir mais do que 30% dos ganhos da família.

O prazo máximo para financiamento do imóvel também deve ser avaliado. No caso da Caixa, esse tempo é de 35 anos.

O site da Caixa Econômica disponibiliza simulações online, para que as pessoas já compareçam ao banco com uma noção de como será o financiamento. Importante ressaltar que o banco financia, no máximo, 80% do valor da propriedade.

Banco Santander

Dentre as principais opções, o Banco Santander é que oferece a menor taxa de financiamento no mercado: 9,4% ao ano.

O site da instituição não disponibiliza muitas informações a respeito das regras, mas é possível fazer uma simulação online para ter uma ideia de como seria pagar seu imóvel por meio do Santander, com os valores das parcelas ao longo de cada ano.

É necessário que o interessado passe por uma análise de crédito, já que é necessário provar a capacidade de pagamento em dia.

Uma das vantagens oferecidas pelo Banco Santander é que ele proporciona um tempo até que a carta de crédito seja utilizada, ou seja, você pode procurar seu imóvel com mais calma e atenção.

Banco Itaú

O Banco Itaú pratica uma taxa de 10,9% ao ano e é uma das poucas instituições que não disponibilizam a simulação online para os interessados.

De acordo com eles, aqueles que quiserem receber mais informações devem preencher um cadastro e, posteriormente, comparecer a uma das agências para verificar os requisitos.

Banco Bradesco

A taxa de financiamento cobrada pelo Banco Bradesco é de 10,5% ao ano. Uma das maiores vantagens da instituição é que, de acordo com eles, as parcelas podem custar a partir de R$ 200, o que contempla famílias de baixa renda.

Ainda assim, os mais endinheirados podem financiar propriedades que pode passar dos R$ 5 milhões, desde que o financiamento não ultrapasse 30 anos.

De acordo com o Bradesco, o máximo que pode ser financiado é 80% do valor total do imóvel.

Banco do Brasil

Embora a taxa de financiamento de 11,48% seja uma das mais altas do mercado, a instituição oferece algumas vantagens, como prazo de até 35 anos para quitação do imóvel.

Os interessados devem ser dirigir a uma das agências para fazer simulações e para se informarem a respeito das regras do Banco do Brasil.

Programa habitacional Minha Casa Minha Vida

As novas regras do programa habitacional do Governo Federal, agora, permitem que as famílias participantes tenham renda bruta de até R$ 9 mil. Algumas faixas de renda recebem subsídio, ou seja, ajuda com o pagamento da entrada do imóvel.

De qualquer forma, ainda que você não faça parte desses grupos contemplados, o programa garante taxas menores se preencher os requisitos do programa.

Sente-se mais seguro para procurar por taxas de financiamento atrativas? Existem muitas casas à venda em Curitiba em ótimas condições e com preços convidativos. Comece a procurar agora nos principais portais de compra e venda de imóveis na internet!

Democracia Inabalada.

Comentários

Deixe a sua opinião