Os responsáveis pelo projeto de extensão “Xadrez: empoderamento intrapessoal na conquista do Rei” perceberam que até pelo WhatsApp é possível aprender a jogar ou aprimorar as habilidades já adquiridas.

Eles montaram cinco grupos de WhatsApp para reunir as turmas de diferentes níveis de conhecimento e estão iniciando as atividades com resultados que estão surpreendendo.

Em torno de 80 pessoas estão participando dos grupos, e as adesões permanecem abertas (veja os links abaixo).

O curso foi oferecido em 2019, com encontros nas unidades PTI e Jardim Universitário e na Escola Municipal Monteiro Lobato, no Jardim Porto Belo. Além disso, foram realizadas atividades durante o projeto UNILA na Feira (Avenidas JK e Paraná), aos domingos.

“Uma coisa que nos impressionou muito é a quantidade de crianças interessadas em aprender xadrez”, comenta Alessandra Sibim, professora da área de Estatística na UNILA e coordenadora do projeto.

Além das aulas, foram realizados torneios para adultos e crianças.

“Eu me apaixonei mais ainda quando vi 52 crianças participando do torneio. Foi lindo”, entusiasma-se Alessandra.

A ideia, a partir da experiência do ano passado, era ampliar o projeto, fechando parcerias com outras escolas e programando novos torneios. A pandemia interrompeu o planejamento, mas conduziu a uma busca por alternativas.

“O xadrez tem muito de estratégia, de controle de emoção, e achamos que poderíamos ajudar aqueles que estão em casa”, conta Alessandra.

No primeiro semestre deste ano, o projeto realizou lives, desafios e torneios (níveis iniciante, intermediário e avançado), tendo como participantes as pessoas que já faziam parte de um grupo de WhatsApp, formado em 2019 durante as atividades do projeto, e algumas outras que ingressaram naquele momento.

Neste semestre, está sendo adotada uma nova metodologia – a divisão dos participantes em grupos de diferentes níveis de conhecimento. O primeiro encontro do grupo de iniciantes foi realizado na segunda-feira (17), comandado pela estudante Gabriela Agostinho, bolsista do projeto.

“A primeira aula foi toda escrevendo no WhatsApp. Ela explicou os conceitos iniciais, aplicou exercícios. Foi muito legal. Fiquei muito surpresa com a participação. Quem não conseguiu acompanhar, em tempo real, tem tudo registrado no grupo”, destaca Alessandra, lembrando que o WhatsApp não será ferramenta exclusiva.

Também serão utilizadas outras mídias, como Lichess e Google Meet.

Um outro ponto que chamou a atenção foi a origem dos participantes, que não estão resumidos a pessoas de Foz do Iguaçu.

“Temos até um aluno da Unilab [Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, com campi na Bahia e no Ceará]. Não tem fronteira”, comemora.

Foto: Arquivo – Unila.

Veja como se inscrever

Iniciante 1 – Turma 1: o que é o jogo e seu objetivo, nome e movimento das peças, captura, promoção.
Link para entrada: http://bit.ly/xadrez_turma1
Atividades: segundas-feiras, das 20h às 21h
Preferível entrada até dia 28 de agosto

Iniciante 2 – Turma 2: mate em 1, mate em 2, princípio de cálculos e lógicas do jogo.
Link para entrada: http://bit.ly/xadrez_turma2
Atividades: quartas-feiras, das 14h às 15h
Preferível entrada até dia 28 de agosto

Intermediário – Turma 3: introdução a defesas e aberturas, exercícios de lógica, outros fundamentos, torneios, análise de partidas.
Link para entrada: http://bit.ly/xadrez_turma3
Atividades: quartas-feiras, das 10h às 11h
Entrada a qualquer momento

Avançado – Turma 4: análise de partidas, torneios, aberturas e defesas à escolha.
Link para entrada: http://bit.ly/xadrez_turma4
Atividades: sextas-feiras, das 18h às 19h.
Entrada a qualquer momento

Grupo Geral: para mais informações
Link para entrada: http://bit.ly/xadrez_geral
Dúvidas também podem ser esclarecidas pelos e-mails ga.rodrigues.2017@aluno.unila.edu.br (monitora) e alessandra.sibim@unila.edu.br (coordenadora)

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião