O período de frio que atinge a região Oeste do Paraná requer atenção especial quanto à apicultura.

A ocorrência de geada, por exemplo, é um fator preocupante para a atividade, assim como o vento frio, que, quando incide na parte interna das caixas de abelhas pode provocar o resfriamento, e até morte das larvas.

As abelhas são insetos sensíveis à seca, chuva em excesso, calor e frio, o que influencia diretamente na produtividade. No caso de muito frio, os insetos param de trabalhar e se aglomeram sobre a área de cria para conservar o calor corporal e aquecer as larvas, segundo Ângelo Valoto, técnico que presta serviço ao setor pela Cooperativa de Trabalho e Assistência Técnica do Paraná (Biolabore).

Cuidados

Alguns cuidados podem ser adotados, por exemplo, na escolha do local para os apiários. Deve-se evitar pontos onde vente muito e é importante dar preferência a áreas em que as caixas recebam a luminosidade que ajuda a aquecer as colmeias. As entradas devem ser voltadas para o lado contrário ao dos ventos prevalecentes na região, mesmo que sejam fracos. “Outra orientação é reduzir a parte da entrada da colmeia para barrar o vento”, destaca o técnico Tadeu Roque de Cristo Junior.

O apicultor deve evitar abrir as caixas no frio, segundo os técnicos. A abertura leva à perda de calor e as abelhas terão um desgaste enorme de energia e de alimento para conseguir elevar a temperatura até as condições aceitáveis novamente.

Alimentação

Dentre os problemas, está a alimentação das abelhas, o que requer atenção especial para evitar a perda de produtividade, conforme Ângelo Valoto. Neste sentido, Tadeu Roque observa que a alimentação pode ser feita com açúcar Very High Polarization (VHP), para substituir a fonte energética e utilizar a massa proteica em substituição ao pólen, suplementos básicos para as larvas.

Inimigos naturais

Controles de inimigos naturais, como formigas e outras vespas, manutenção de limpeza dos apiários, são manejos que ajudam para se ter produtividade maior.

A Biolabore, por intermédio de contrato com a Itaipu Binacional, pelo Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável, mantém uma equipe técnica que pode auxiliar os produtores nos manejos corretos para evitar perdas, ou, aumentar a produtividade.

Contatos podem ser feitos pelo telefone (45) 3268 3258.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião