Nesta quarta-feira, o Parque Nacional del Iguazú anunciou que já iniciaram a recuperação das passarelas que levam até a Garganta do Diabo, que foi destruída após a alta vazão das semanas anteriores.

A alta vazão foi a segunda mais importante registrada nos últimos anos, foram registrados 16,5 mil metros cúbicos de água por segundo. A força da água arrastou 51 dos 99 trechos da passarela que leva à Garganta do Diabo.

Passrela das Cataratas ArgentinaPassarela Catarats Argentina
Como era/ como ficou. Cataratas do lado Argentino.

Vão ser reparados 1.100 metros de passarela, ainda não há previsão de conclusão do serviço.

Agora, espera-se que a vazão do rio volte ao seu nível normal para iniciar a avaliação do estado das estacas de concreto da passarela que leva à Garganta do Diabo.

“Para a reposição imediata, temos 20 peças em estoque e para as peças vamos proceder ao pedido de construção de novos caixilhos, pavimentos e guarda-corpos, uma vez que o resgate das partes caídas no rio não pode ser realizado até que o fluxo permite”.

Explica a direção em nota.

Quando a vazão fica muito acima da média, há um protocolo a ser cumprido. O sistema das Cataratas da Argentina é preparado para que quando a vazão do rio aumenta, as grades sejam retráteis, isso permite que a água corra sem encontrar resistência no caminho. Quando a vazão do rio é maior que o normal as grades que compõem as passarelas se desprendem para evitar danos.

Cataratas Argentina
Foto: La Voz de Cataratas. Foto de junho de 2022, quando a vazão das Cataratas estavam altas.

Lembrando que o circuito superior das Cataratas da Argentina está funcionando normalmente.

Comentários

Deixe a sua opinião