As pontes estão fechadas e os hotéis recebem pouquíssimos hóspedes. A grade mola propulsora da economia municipal encontra-se emperrada, pois o turismo depende de um movimento global.

Talvez nosso maior desafio nos próximos tempos não seja econômico, pois como nos mostra a história, ao fim de cada crise Foz reinventou-se e cresceu.

Na vera verdade, nosso maior desafio é ambiental. Uma grande evidência disso são os números da dengue, presente ano após ano como se fosse um problema sem solução

Muitas áreas verdes da nossa cidade se tornaram depósito de lixo, consequentemente, vetores da dengue e de animais peçonhentos.

E o que falar da situação dos rios? Principalmente os rios que cruzam a área urbana. O Boicy, o Monjolo, o Almada, o Mimbi…Todos com suas águas poluídas.

Dantas constatou uma nascente do rio Boicy no meio de uma comunidade local. / Foto: Dantas Duarte.

Resolver a crise ambiental é urgente. Uma cidade como Foz, abençoada pela natureza, não pode se dar ao luxo do descaso. Temos potencial pra superar esse cenário, assim como os instrumentos e instituições com que poucas cidades podem contar.

Com tudo o que temos, poderemos ser conhecidos como uma cidade modelo na preservação ambiental, no ecoturismo e na qualidade de vida.

Pensa-se que o meio ambiente é um assunto superficial, pois talvez faltem melhores bases ambientais na educação formal. Acredito que a educação ambiental seja o principal pilar no processo de formação de um cidadão contribuirá para a preservação dos recursos naturais.

Assim, faremos do planeta um lugar melhor.

*Daniel Dantas Duarte, Geógrafo, ex-militar, fotógrafo. Gosto da natureza, e por isso se identifica muito com Foz do Iguaçu.


OS ARTIGOS ASSINADOS SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DE SEUS AUTORES, NÃO REPRESENTANDO A OPINIÃO DO VEÍCULO.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião