Alaim Stefanello recebe prêmio Ecologia e Ambientalismo da Câmara Municipal de Curitiba

77

A honraria também foi entregue a mais 18 personalidades, empresas e entidades que se destacaram com ações positivas de preservação da biodiversidade paranaense

O advogado Alaim Giovani Fortes Stefanello, doutor em Direito Econômico e Socioambiental, foi agraciado nesta quarta-feira, 28 de agosto, com o prêmio Ecologia e Ambientalismo, concedido pela Câmara dos Vereadores de Curitiba, por sua atuação em favor da natureza, do meio ambiente e da ecologia. A honraria também foi entregue a mais 18 personalidades, empresas e entidades que se destacaram com ações positivas de preservação da biodiversidade paranaense. A sessão foi presidida pelo vereador Tito Zeglin, 1º vice-presidente da CMC.

Para Alaim Stefanello, o prêmio tem uma caráter muito significativo, principalmente, num momento em que os olhos do mundo estão voltados para o Brasil. “Ser reconhecido e valorizado pelo trabalho que desenvolvo é mais um estímulo para continuar atuando na preservação e recuperação do meio ambiente como um todo”, pontuou.

O homenageado fez questão de lembrar ações que a Comissão de Direito Ambiental da OAB Paraná, que presidiu por três anos. “Entre muitas proposições e projetos, destaco que, por meio de nossa iniciativa, a Ordem adotou duas praças que ficam no entorno da instituição, no bairro Ahú, em Curitiba. Revitalizamos os logradouros que agora são pontos de encontros e espaços turísticos na região”.

Ele completa, salientando que ações conjuntas com a população são capazes de melhorar a qualidade de vida das pessoas e, acima de tudo, garantir a preservação do meio ambiente. “Cada um fazendo sua parte e compartilhando boas práticas”, frisou.

Na ocasião, o saudar os homenageados, o vereador professor Euler mencionou ações e sugestões ao Executivo Municipal, que visam contribuir para a conservação ambiente. Citou como exemplos, projeto que prevê a redução do uso de plásticos como canudinhos, copos e sacolas de mercado; o que estabelece a obrigatoriedade da coleta do óleo de cozinha usado; e o que regulamenta hortas comunitárias e composteiras, entre outros.




Deixe um comentário