Potencializar ações integradas e atrair investimentos para fortalecimento e diversificação da economia de Foz do Iguaçu e região. Na tarde de hoje (13), a Itaipu Binacional, o Parque Tecnológico Itaipu e parceiros lançaram o Acelera Foz, programa que pretende colocar a cidade de Foz do Iguaçu em outro patamar econômico e com inovação tecnológica. Segundo o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, o programa é a virada de chave de Foz para a transformação que o município tanto almeja: tornar-se um polo de inovação e empreendedorismo, com incentivo ao turismo. A intenção é que, até dezembro, sejam colocadas em prática ações divididas em sete eixos: “Estaremos 100% comprometidos com o programa e a parceria”, disse o diretor-geral em live exibida por videoconferência, com transmissão pelo canal da Itaipu no Youtube e também pelo perfil do Parque Tecnológico Itaipu no Facebook.
“Esse programa representa acima de tudo a grande esperança para recuperar a dignidade da nossa gente, por meio de ações e iniciativas efetivas de infraestrutura, tecnologia, inovação, inteligência artificial e incremento no turismo. É o passo seguinte para que as pessoas tenham grande orgulho de viver aqui e encher os olhos de quem visita e quer investir em Foz”.
O diretor-superintendente do Parque Tecnológico, general Eduardo Garrido, e o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. Foto: Kiko Sierich
                      Entre os objetivos específicos estão: estimular, dinamizar e diversificar a economia; gerar novos negócios e consolidar empresas de base tecnológica com foco em inovação; gerar empregos; fortalecer o ecossistema de inovação e executar obras estruturantes. Para Danilo Vendruscolo, presidente do Oeste em Desenvolvimento, esse projeto é suprapartidário e com foco no voluntariado. Ele diz ainda que a iniciativa foi construída de forma coletiva. “Vem em prol do bem coletivo e talvez seja por isso que o seu conteúdo é tão rico em ações como elas foram elaboradas. Sem dúvidas, o objetivo deste projeto é termos uma Foz mais bonita, limpa e mais atrativa para investir, curtir, viver com qualidade de vida aos munícipes e todos que visitarem a Tríplice Fronteira.” O diretor-superintendente do Parque Tecnológico, general Eduardo Garrido, mencionou que o turismo é a força motriz de Foz do Iguaçu e que a tendência é de ser uma das últimas atividades econômicas a se recuperar, sendo necessário trabalhar firme e passar confiança aos futuros visitantes.
“Só será possível se tivermos uma atividade integrada. Precisamos atender não apenas ao turismo, mas todas as demais atividades que temos na cidade. Temos que encarar isso como uma nova oportunidade, para criar empregos, apoiar empresas.”
Garrido diz ainda que a missão do PTI é desenvolver tecnologia, inovação, gerar negócios e contribuir com a riqueza e bem-estar da sociedade, enfatizando que o sucesso do programa Acelera Foz depende do envolvimento de todos, desde os líderes até a população e a sociedade: “Juntos somos mais fortes”, finaliza. O programa é dividido em sete partes:
  • Obras estruturantes
  • Planos estratégicos de marketing para o município de Foz
  • Retomada econômica do turismo
  • Educação e qualificação empreendedora
  • Incentivo à inovação e atração de investimentos
  • Apoio à produção e comercialização
  • Políticas públicas
  Eixo 1: Obras estruturantes (em execução) – são mais de R$ 600 milhões em contratos. Confira: Projeto Beira-Foz, R$ 4,61 milhões Duplicação do acesso e área de manobra aeroporto, Infraero, R$ 15,5 milhões Ampliação pista Aeroporto de Foz, R$ 55,51 milhões Obras Hospital Costa Cavalcanti, R$ 64,76 milhões Perimetral leste – acesso BR-277, R$ 139,29 milhões Segunda ponte (Foz do Iguaçu-Paraguai), R$ 323,71 milhões Obras a executar – mais R$ 299 milhões a contratar Duplicação da BR-469, Rodovia das Cataratas, R$ 135 milhões Revitalização da Avenida Cataratas – trecho urbano, R$ 23 milhões Trincheira Teodoro Risden / BR-277, R$ 12 milhões Revitalização do Espaço das Américas, R$ 20 milhões
Segunda ponte
              Eixo 2: Plano estratégico: Plano integrado de marketing para o desenvolvimento; projeto de fortalecimento das instâncias de governança; campanhas de marketing nacional. A expectativa é atrair mais de quatro milhões de visitantes a partir de 2022 e gerar seis mil empregos. Eixo 3: Retomada econômica do turismo Com aproximadamente 500 empreendimentos beneficiados, o eixo 3 visa ao: projeto de revitalização do entorno do 34º Batalhão de Foz do Iguaçu; infraestrutura e obras de revitalização dos corredores turísticos; protocolos de segurança sanitária para atividades turísticas; edital de inovação corporativa para o turismo; agilizar concessão do Centro de Convenções; inaugurar o mercado da Cobal até dezembro de 2020; programa de incentivo ao turismo regional. Eixo 4: Educação e qualificação empreendedora Entre as iniciativas que irão beneficiar aproximadamente mil profissionais estão: estimular a realização de capacitações virtuais; estimular a adequação empresarial para correto uso das condutas sanitárias; e programa de qualificação empresarial para atividades impactadas. Eixo 5: Incentivo à inovação e atração de investimentos As ações para beneficiar mil empreendedores são: escritório para recepção e atração de investimentos; investimentos para aceleração de startups; facilitação do acesso ao crédito; estimular a criação do polo de serviço de saúde; implantação laboratório de IA em Agroenergia; Projeto Vila A Inteligente; Centro Municipal de Inovação – Condomínio de Startups. Eixo 6: Apoio à produção e comercialização Nesta etapa, o programa visa a beneficiar seis mil empreendedores. As iniciativas nessa fase são: portal on-line de cadastro e divulgação de profissionais autônomos; apoio para estruturação e comercialização de feiras; expansão do programa de crédito a juro zero; ampliar aporte de recursos na garantia de crédito. Eixo 7: Políticas públicas (1.500 beneficiados) Simplificação e desburocratização para funcionamento empresarial e construção; apoio para projetos de inclusão social; plano de contingenciamento de contenção de gastos públicos; políticas de incentivo para o desenvolvimento da Beira-Rio, Jupira e Vila Portes; facilitação e flexibilização para regularização de tributos.  

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião