Contato

+55 (45) 3025-2829

Whatsapp

+55 (45) 9118-2401

Foz do Iguaçu

Personagem da Fronteira: Roberto Mafra

Personagem da Fronteira: Roberto Mafra
Annie Grellmann Annie Grellmann
18/04/2016 11:09hs

Em julho de 87, Roberto Mafra respirou os ares iguaçuenses pela primeira vez. Veio passar uns dias na casa da irmã,Maria Aparecida Cândido, e do cunhado,Manoel Antonio Candido, que estavam morando em Foz e trabalhando no ramo de panificação. Ele precisava decidir o que iria fazer da vida daquele momento em diante.

 

Mafra participava da Pastoral da Juventude em Balneário Camboriú. Tinha uma escolha a fazer naquele ano: ir para a Bahia ou São Paulo e ficar durante dois anos para trabalhar voluntariamente como missionário.

 

Aqui chegando, foi logo conhecer os principais pontos turísticos da cidade: Itaipu Binacional, Paraguai, Argentina e Cataratas. Teve então a certeza de que não seria nem na Bahia nem em São Paulo, mas sim em Foz que iria fixar lar.

 

“Me senti bem. Sabe aquela coisa de você sentir que aqui é o teu lugar?”, conta. É que antes disso, aos 11 anos de idade, Mafra tinha visto a imagem das Cataratas do Iguaçu em fotos e depois confirmou aquilo que tinha sentido quando criança: uma sensação estranha de pertencimento do desconhecido.Então, em dezembro de 87, o futuro jornalista chegava para ficar.

 

A primeira vez

 

Sempre comunicativo, em 88 começou a trabalhar com o público no comércio de pães da irmã e do cunhado com o intuito de poder conhecer pessoas e sentir o ambiente da cidade.

 

Assim conheceu o pessoal do jornal Nosso Tempo, Juvêncio, Adelino, Aluizio e Heitor. Em 90, convidaram-no para trabalhar no Departamento Comercial do jornal. Mafra começou também a assinar duas colunas – uma de informática e outra de economia. Foi a primeira vez na vida em que assinou matérias.

 

“Tinha professores espetaculares lá, como Juvêncio Mazzarollo, que era uma pessoa espetacular, e o Aluizio Palmar. Com eles aprendi que se pode fazer jornalismo com seriedade.” Mafra afirma que fazer parte do Nosso Tempo foi uma escola muito importante para a carreira de jornalista, que estava apenas começando.

 

Esporte

 

No ano de 93 foi para o jornal Primeira Linha, no qual começou a escrever sobre esportes e se mantém até os dias atuais. Nesse mesmo tempo atuou como radialista aos sábados de manhã na 97 FM, mas teve de parar devido à falta de tempo.

 

Desde 2006 tem um programa esportivo na Foz TV, também chamado de Pódio Sem Fronteiras, que entra ao vivo todas as terças e quintas-feiras às 18h30.

 

Faz 26 anos que Mafra trabalha com imprensa em Foz. O jornalista esportivo, hoje assessor do Foz Futebol Clube,começou a priorizar o amor pelo esporte a motor em todos os trabalhos que realizou. “Trabalho com futebol, mas minha paixão mesmo é esporte-motor”, conta. Deste modo as pautas sobre esporte a motor começaram a surgir nos veículos de comunicação iguaçuenses.

 

Com o assunto em alta, no ano 2000, foi possível desenvolver uma ação de reformulação do Kartódromo Internacional de Foz, que estava abandonado. O local foi reformado, e a nova logomarca Adrenakart acabou sendo implantada.

 

Roberto Mafra está trabalhando em um livro sobre o automobilismo iguaçuense.

 

Nascendo de novo

 

Era para ser mais uma manhã de segunda-feira normal, dia 25 de janeiro de 2016, quando Mafra arrumava suas coisas para ir ao trabalho enquanto falava com a esposa por telefone. Ela percebeu que tinha algo errado no seu jeito de falar e ligou para Marcelo Angeli, amigo do marido.

 

Angeli o levou imediatamente ao médico. Mafra sentia pressão e aperto no peito. Estava enfartando no carro do amigo. “Deus me deu uma segunda chance, e eu só quero tentar ser feliz”, enfatiza.

 

O vício do cigarro, a partir daquele dia, ficou para trás junto com as doses de whisky que gostava de tomar. Hoje em dia quando toma uma cerveja, normalmente é sem álcool. A mudança de hábito foi total, até mesmo na alimentação –que,conforme ele, está fazendo-lhe muito melhor.

 

Desde então, o jornalista aprendeu a curtir mais a família e a viver o dia, como no termo carpe diem. Na semana seguinte ao enfarte, ele completou 47 anos e, na posterior ao aniversário, nasceu a filha.

 

“Tomo cuidado ao comemorar o gol do Foz Futebol, pra se eu levantar muito o braço, o cara lá em cima não pegar minhas mãos e me puxar”, finaliza, aos risos.

 

LINHA DO TEMPO:

3/2/1969 – Nascimento em Blumenau – Roberto Mafra

1980 – Viu fotos das Cataratas do Iguaçu pela primeira vez

7/1987 – Passou as férias em Foz

12/1987 – Veio morar em Foz

1988 – Começou a trabalhar com a irmã e o cunhado na área do comércio

1989- Nasceu o primogênito Cleverson Roberto Mafra ,fruto do primeiro casamento. Faleceu em 2014 e deixou um neto Guilherme Roberto Mafra.

1990 – Começou a assinar duas colunas no jornal Nosso Tempo, sobre informática e economia

1993 – Passou a trabalhar no jornal Primeira Linha

2000 – Nasceu a filha, Agnes Elis Rahmeier Mafra, fruto do segundo casamento.

2001- Nasceu o filho, Yuri Matheus Rahmeier Mafra, fruto do segundo casamento.

2006 – Iniciou um programa de esportes na Foz TV, “Pódium Sem Fronteiras”

2010 – Casou-se com Thais Lopes de Souza

2014 – Nasceu o filho, Jorge Lopes de Souza Mafra

2016 – Nasceu a filha Sarah Lopes de Souza Mafra

2016 –Trabalha no jornal Primeira Linha, na Foz TV , cuida da assessoria do Foz Futebol Clube e é Diretor de Imprensa do Automóvel Clube de Foz do Iguaçu.