Contato

+55 (45) 3025-2829

Whatsapp

+55 (45) 9118-2401

Foz do Iguaçu

HM de Foz realiza a primeira captação de órgãos do ano

HM de Foz realiza a primeira captação de órgãos do ano
Drielly Andrade Drielly Andrade
11/02/2016 10:20hs

A captação foi realizada durante toda a madrugada da quinta-feira, 11, no Hospital Municipal (HM) de Foz do Iguaçu, e efetuada após a autorização da família de um paciente de 20 anos, vítima de Traumatismo Cranioencefálico (TCE) grave e que teve a morte encefálica confirmada através de exames realizados seguindo rigorosamente todos os itens descritos no protocolo específico.

 

A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) realizou a abordagem junto à família para a doação, que num gesto nobre e fraterno consentiu a doação dos órgãos do jovem.

 

Foram doados o fígado, pâncreas e rins. “Trabalho, dedicação e comprometimento de uma equipe multidisciplinar, que acima de tudo, respeita todas as partes envolvidas”, disse a gerente de Divisão da UTI e secretária da CIHDOTT, enfermeira Karin Aline Zilli Couto.


De acordo com a enfermeira, o processo para diagnóstico de morte encefálica para a captação de órgãos exige o cumprimento de uma série de protocolos bastante criteriosos, para os quais a equipe do Hospital Municipal de Foz do Iguaçu, está rigorosamente preparada e capacitada. 


Karin ainda explica que a doação só pode ocorrer com autorização da família, após a realização de exames neurológicos que identifiquem a ausência de atividade cerebral – a chamada morte encefálica. 


Além disso, é necessário que o paciente não tenha doenças infectocontagiosas, infecções ou alterações estruturais decorrentes de traumas ou acidentes, por exemplo. Mesmo com a triste situação da perda, a atitude desses familiares fez aumentar o número de doadores no Brasil.

 

“É necessário desmistificar certas questões sobre a doação de órgãos e isso só é possível por meio da informação, do diálogo entre familiares, a fim de que todos estejam verdadeiramente cientes sobre o benefício e a importância da doação”, afirma a diretora-presidente da Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu, Patrícia Foster Ruiz.

Leia também

Hegrisson e Adriana falam do amor pela Cosmoethos

Hegrisson e Adriana falam do amor pela Cosmoethos
Foto: Rose Meurer   Eles se conheceram no Rio de Janeiro, em 1995, quando ambos participavam de aulas de cantoterapia. Descobriram que tinham muito mais coisas em comum do que poderiam imaginar. Adriana de Lacerda Rocha tinha acabado de abrir um escritório de advocacia. “Carioca da gema”, como diz, trabalhava com...